sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

Do amor de Poseidon e Nerites nasce Anteros

Nerites, arte de Shanina Conway
Nerites era um lindo e jovem deus do mar que foi transformado em marisco pelos deuses. De acordo com alguns, ele era um companheiro e amante da deusa nascida no mar, Afrodite. Quando ela foi convidada a se juntar aos deuses no Olimpo, Nerites se recusou a acompanhá-la e por essa razão foi punido com a metamorfose. Outros dizem que ele era amante e cocheiro de Poseidon que ousou desafiar o deus-sol Hélio para uma corrida de carruagens. Nerites, é claro, foi derrotado e, como castigo por sua arrogância, foi transformado pelo deus em um marisco que se move lentamente.

Mas vamos conhecer a fonte original onde foi registrado esse mito do belo Nerites, dos seus romances com Afrodite e Poseidon e de como de seu amor pelo imperador do mar fez nascer o deus Anteros (sim, na mitologia grega também tem história de dois pais tendo filho!).

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Homossexualidade no Japão: Budismo e Xintoísmo

Arte de Hideki Koh

O Japão é um país muito antigo e, como para tudo mais, possui lendas e mitos de deuses e heróis e todo um sistema ritual que sustentava e promovia largamente o amor e o sexo entre homens ao longo de sua história milenar.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

Icamiabas, as amazonas brasileiras

Fantasia das Amazonas, de Roland Stevenson
(capa da Lista Telefônica do Estado do Amazonas em 1989)
Icamiabas ("mulheres sem marido" [e que tomavam umas às outras como esposas]) ou coniupuiaras ("grandes senhoras") são nomes indígenas dados a mulheres guerreiras semelhantes às amazonas da mitologia grega, que supostamente viveram ou ainda vivem no Brasil. A lenda sobre essas amazonas foi frequentemente associada com o mito do Eldorado, em cujas vizinhanças elas supostamente viveriam.

sexta-feira, 29 de junho de 2018

Aquiles & Pátroclo

Aquiles enfaixando o braço de Pátroclo
(pintura em vaso de cerâmica, 530 AEC)
O relacionamento entre Aquiles e Pátroclo é um elemento chave das histórias associadas com a Guerra de Troia. Sua exata natureza tem sido um assunto de debate tanto no período clássico como nos tempos modernos. Na Ilíada, Homero descreve um profundo e significativo relacionamento entre os dois, onde Aquiles é gentil em relação a Pátroclo, mas insensível e arrogante com os outros. Homero nunca expressa explicitamente os dois como amantes, mas eles são descritos como tal nos períodos arcaico e clássico da literatura grega, particularmente nas obras de Ésquilo, Ésquines e Platão.

quarta-feira, 2 de maio de 2018

São Sebastião - Protetor dos Gays e Santuário Homossexual do Brasil

São Sebastião, de Antonio Giorgetti (Roma, Itália)
No dia 20 de janeiro de 2000, festa do mártir São Sebastião, o Grupo Gay da Bahia (GGB) divulgou documento proclamando São Sebastião como o patrono dos gays e elegendo o Mosteiro de São Sebastião dos Beneditinos da Bahia como o Santuário Homossexual do Brasil.

sábado, 28 de abril de 2018

Falicismo, uma introdução

Stoibadeion (templo de Dioniso em Delos, Grécia):
Falos de mármore erigidos por Karystos (ou Carystios), cerca de 300 AEC
A partir deste post darei início a mais uma série de artigos especiais, desta vez dedicada à adoração do Falo (o órgão sexual masculino como símbolo dos poderes criativos da Natureza), um conjunto de crenças quase tão antigo quanto a humanidade e espalhado por todo o mundo, mas que nos tempos modernos é seguido quase que exclusivamente por homens gays, pelo menos em suas formas mais explícitas (pois o Falicismo, como veremos nesta série, pode ser atestado em diversos sistemas de crenças tradicionais, em graus variados de explicitação, como o Cristianismo, Hinduísmo, Budismo e Xintoísmo, entre muitos outros).

Então vamos conhecer um pouco mais sobre o Falo e o Falicismo?

sexta-feira, 13 de abril de 2018

Temas LGBT na mitologia hindu

Shiva e Parvati na forma de Ardhanarisvara
Temas LGBT nos épicos hindus envolvem divindades e heróis do Hinduísmo cujos atributos ou comportamentos podem ser interpretados como de lésbicas, gays, bissexuais ou transgêneros (LGBT) ou tendo elementos de variação de gênero e sexualidade não heterossexual. Fontes tradicionais da literatura hindu não falam da homossexualidade diretamente, mas mudanças de sexo, encontros homoeróticos e personagens intersexuais ou do terceiro gênero são frequentemente encontrados tanto nas narrativas religiosas tradicionais como os Vedas, Mahabharata, Ramayana e Puranas bem como no folclore em geral.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Calendário da Lua